quarta-feira, 19 de agosto de 2009

A liderança na comunicação de risco

Na última segunda feira, 17 de agosto, após a aula de Comunicação Interna, com o professor Bruno Carramenha, estava pensando como a liderança sempre esta envolvida na comunicação de risco em empresas. Sempre que se pensa em uma situação de crise, a primeira pessoa a ser contatada pelo comitê é o presidente ou o a diretoria responsável. Isso prova o quanto a liderança e importante no sentido de dar mais credibilidade à todas as informações e decisões que a empresa tomará a partir daquele momento.

O que entra em ação é o papel de herói que o executivo tem perante todo seu público interno que acredita e confia nele. Esse papel deve ser trabalhado pela organização em todos os sentidos para que se tire o melhor proveito quando falamos de crises internas e externas.

Um exemplo que me fez pensar foi ontem mesmo na primeira aula que tivemos na faculdade. Depois de toda a crise epidêmica da Gripe A (H1N1), não bastou apenas os professores explicarem procedimentos e todas as medidas preventivas tomadas, quem foi passar o recado foi a Coordenadora do Curso de Relações Públicas da Faculdade Cásper Líbero, Tânia Baitello. Não desmerecendo os professores, mas a presença da Coordenadora trouxe mais credibilidade à sala de aula, provalvelmente pelo cargo a qual ela ocupa.

Continuando na mesma linha, após as apresentações tivemos que resolver alguns casos de crise interna de empresas criando ações sustentáveis em tempos de crise. O impressionante é que com todas as pessoas que eu conversei, incluindo meu grupo, pensaram em primeira mão, em uma ação que de alguma maneira envolvia a liderança da empresa para passar informações que acalmasse os colaboradores em geral.

A liderança foi envolvida também para “acalmar os nervos” e as informações por ela passada eram trabalhadas mais tranquilamente por outros veículos de comunicação.

Acho que cada vez mais é importante treinar nossa liderança para serem perfeitos porta vozes, e é preciso aproveitar essa cultura criada em volta da liderança que, na maioria dos casos, traz grandes benefícios para a empresa como um todo. Em momento de crise, a liderança bem treinada pode ser entendida como “a voz de deus”.

Postado por Michele Elkabets

2 comentários: